44 3252-1177

contato@oregionaljornal.com.br

Pesquisador da Embrapa alerta para a doença “couro de sapo” na mandioca:

Doença foi detectada recentemente no Paraná e pode reduzir produtividade de 70% à perda total


 


A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) detectou a presença de uma nova doença nas lavouras da mandioca. O “couro de sapo” ou “couro de jacaré”, como é conhecida, é “uma doença cuja etiologia é atribuída ao mesmo tempo a um complexo de espécies de vírus e a um fitoplasma”, como explica o pesquisador Saulo Oliveira, da Unidade de Mandioca e Fruticultura da Embrapa em Cruz das Almas, Bahia.



O problema já havia sido detectado nas lavouras do Amazonas, Pará e Bahia e mais recentemente foi registrado no Paraná. “O couro de sapo apresenta um alto potencial de danos à cultura da mandioca, podendo inviabilizar a produção em toda uma região”, alerta o pesquisador da Embrapa.



Oliveira diz que a doença normalmente só é percebida por ocasião da colheita, quando se tem o contato com a raiz, já que não até agora as pesquisas não detectaram qualquer sintoma do mal na parte aérea da cultura. “Os sintomas se caracterizam-se pela presença de sulcos ou lábios nas raízes, com diminuição do diâmetro, engrossamento da película, sendo que esta fica com aspecto corticoso e de difícil desprendimento, a entrecasca fica opaca e também de difícil desprendimento. A maioria das cultivares conhecidas, quando infectadas pelos patógenos do couro de sapo, não expressam sintomas na parte aérea, sendo os danos somente percebidos durante a colheita, fato que dificulta ainda mais seu controle”.



O pesquisador da Embrapa relata que a moléstia “pode provocar redução em torno de 70% na produtividade ou até mesmo perdas totais em variedades suscetíveis. Os vírus/fitoplasma podem também reduzir drasticamente a qualidade do produto, especialmente os teores de amido, cuja diminuição pode variar de 10% a 80%. Devido a relatos constantes de ocorrência dessa doença em diferentes regiões e no Paraná, é fundamental a adoção de estratégias de manejo, uma vez que não pode ser ignorada como um problema potencial para a região, já que as condições de clima e plantio mecanizado favorecem e muito o desenvolvimento da doença”.



MUDAS DE QUALIDADE
Saulo Oliveira informa que a maneira mais eficiente para prevenir o couro do sapo é fazendo uma “seleção rigorosa do material de plantio, evitando a introdução de material de áreas afetadas, ou seja, pelo uso de manivas sadias”.



Adverte que “em áreas de ocorrência da doença, deve-se realizar a eliminação de plantas doentes dentro do cultivo (roguing). Até o momento, a limpeza de plantas infectadas só é possível em escala de laboratório ou por meio de câmaras térmicas. Nesse sentido, a Embrapa recomenda a utilização de manivas ou mudas de mandioca com qualidade fitossanitária assegurada, como é o caso das mudas produzidas junto ao projeto Reniva (Rede de multiplicação e transferência de materiais propagativos de mandioca com qualidade genética e fitossanitária), ou mesmo a adoção de câmaras de tratamento térmico”



Segundo ele as câmaras térmicas são estruturas similares a casas de vegetação, produzidas com custo mais baixo que permitem a limpeza de materiais infectados, por meio da utilização de altas temperaturas (até 55° C), com eficiência de até 80% para a maioria das doenças de mandioca.



Fonte: Jornal O Regional
Mais Notícias:
  • 11/02/2020 - Evento solidário em Santo Inácio atrai mais de 1....
  • 11/02/2020 - Vou ser Candidato. Posso fazer propaganda?
  • 11/02/2020 - Noção Incompleta: Como o mundo aprendeu a separar ...
  • 11/02/2020 - Exposição no Palácio Iguaçu mostra redações sobre...
  • 11/02/2020 - Entidades pedem apoio a Embrapa para desenvolvime...
  • 11/02/2020 - 237 veículos reforçam a proteção social em 167 mun...
  • 04/02/2020 - Jardim Olinda recebe a “Deputada da Ponte” Aline...
  • 04/02/2020 - Câmara devolve mais de R$ 260 mil ao executivo c...
  • 04/02/2020 - Os Meninos de Belém
  • 04/02/2020 - Por que nessa Eleição preciso me preparar antes?
  • 04/02/2020 - Agora são proprietários!
  • 04/02/2020 - Departamento de Educação e Cultura de Mandaguaçu p...
  • 28/01/2020 - O que o Candidato precisa fazer agora para ter cha...
  • 28/01/2020 - Parceria da Volkswagen com Governo garante unidade...
  • 28/01/2020 - Colorado sedia a 9ª Copa Sul-Americana de futebol ...
  • 28/01/2020 - Saúde em Mandaguaçu ganha novo formato em 2020
  • 21/01/2020 - Máquina de Pintura Viária garante economia de temp...
  • 21/01/2020 - Itaguajé assume Patrimônio Histórico, Arqueológic...
  • 21/01/2020 - Roberto Alvim, Conservadorismo e Arte
  • 21/01/2020 - Presidente da Câmara assume interinamente cargo d...
  • 21/01/2020 - A Posse dos novos membros do Conselho Tutelar
  • 21/01/2020 - Rotary Club de Itaguajé faz doação à APAE
  • 21/01/2020 - Novos integrantes do Conselho Tutelar de Ourizona...
  • 21/01/2020 - Souza assume cadeira na Câmara de Vereadores de N...
  • 21/01/2020 - Ângulo empossa Conselheiros eleitos e reeleitos
  • 14/01/2020 - Câmara de Atalaia devolve mais de R$ 300 mil à Pre...
  • 14/01/2020 - Maringá sedia campeonato internacional de Handebol
  • 14/01/2020 - Paranavaí será a capital estadual da advocacia nos...
  • 14/01/2020 - Campanha União Solidária entrega prêmios em Maring...
  • 14/01/2020 - Peregrinos a cavalo e bike fazem a 1.ª Expedição d...
  • Endereço Rua Lord Lovat, 500 - Centro Nova Esperança-PR | CEP: 87600-000 Fone: (44) 3252-1177
    Desenvolvimento Hnet Sistemas